Noite de São Bartolomeu em Sebastopol

Dezembro 1917 - Fevereiro 1918

Documentos e materiais 

REQUERIMENTO da viúva do comandante da Estação de provas e Armazém de minas Riesenkampf N.G.
so Comité do Armazém da fixação da pensão pela perda do marido assassinado

Sevastopol , 26/13 de Fevereiro. ( As 2 datas 26/13 correspondem às datas dos calendários Juliano ( 13 de Fevereiro) e Gregoriano ( 26 de Fevereiro). 31 de Janeiro de 1918 é seguido de 14 de Fevereiro de 1918. A Rússia continuou a usar o calendário juliano até a revolução de Outubro que ocorreu em Novembro segundo o calendário gregoriano. 

Na noite do 22/9 de Fevereiro do corrente ano no nosso apartamento entraram uns homens armados fardados de marinheiros que mandaram ao meu marido Anatolii Georgievich Riesenkampf, meu genro Georgii Efimovich Márkov, meu sobrinho Anatolii Alexandrovich Riesenkampf acompanha-los ao Conselho de deputados de militares e operários.

No dia seguinte eu soube que nem o meu marido, nem o genro, nem o sobrinho não tinham sido levados ao Conselho, mas que foram fuzilados no boulevard Historícheski, morrendo logo o marido e o genro e o sobrinho ferido tão gravemente que temos pouquíssimas esperanças de ele ficar vivo.

Esta noite horrorosa deixou-me viúva com três filhas duas das quais ainda andam na escola, e a terceira ficou viúva apenas cinco dias depois de casar (17/4-22/9 de Fevereiro) com o Georgi Efimovich Márkov.

O meu marido serviu 13 anos no Armazém de Minas e Estação de provas Whitehead e 30 anos na marinha de guerra. A nossa familia vivia exclusivamente do seu salário, morto ele ficamos sem meios para viver, é por isso que peço muito requerir na Comissão de Instrução do Conselho de Sevastopol quais foram as possiveis acusações do meu marido.

De não ter havido tais acusações cujo preço foi a pena de morte para o meu marido estou requerindo o Comité ou Conselho de deputados de militares e operários de requerer ao Comité Geral da fábrica uma pensão vitalicia por eu estar muito doente e sem meios para manter as minhas três filhas, duas  delas têm 12 e 17 anos.

Espero que o Comité não deixe o meu requerimento sem responder e tomará medidas para pelo menos não deixar perecer a familia do homem que tinha dedicado a vida à 

marinha e perdeu a vida castigado sem  sabermos porque.

Viúva N.G.Riesenkampf

Nota:

O Comité e toda a equipagem tendo recopilado todo o material de instrução pede fazer chegar o Requerimento da viúva do comandante da Estação de provas A.G.Riesenkampf ao Comité Geral.

Da nossa parte nós, Comité e equipagem, testemunhamos que nos 30 anos do serviço do comandante a sua atitude foi extremamente humana e não teve nenhuma atitude contra-revolucionária.

Presidente M.Bondarenko

Secretário (assinatura ilegível)